Conto: O vestido de renda

Ela tinha um vestidinho de renda. Ela gostava de admirá-lo, tocá-lo e rodar com ele, gargalhando. Ela sentia-se linda sempre que o vestia. Olhava no espelho orgulhosa de seu vestido todo bordado e sorria satisfeita. E, então, temerosa de qualquer mal que pudesse acontecer ao seu vestidinho tão especial, ela o embrulhava com zelo maternal, fechava a caixa e o guardava bem escondido.

Finalmente, tinha chegado o grande dia. Era noite de festa. Feliz desembrulhou seu vestidinho de renda e o vestiu como se cumprisse um ritual sagrado. Colocou seu melhor sapato, fez seu melhor penteado, maquiou-se e perfumou-se como se fosse uma princesa. Sorriu orgulhosa ao ver sua imagem no espelho.

Tão logo chegou a festa, observou que todos a olhavam. As meninas riam com uma maldade nervosa e percebeu que lhe apontavam o dedo e cochichavam em gargalhadas maliciosas, que a feriam como facadas. Ela abaixou o olhar, queria que um buraco surgisse na terra para se esconder, não ligaria se seu vestido ficasse sujo, não ligaria se rasgasse, só queria sumir. Timidamente deu alguns passos para se misturar à festa em uma tentativa desesperada de esconder a si e a seu vestido.

A líder impiedosa das meninas aproximou-se, loira, gelada e roliça, e disse olhando por cima como se fosse esmagar um inseto: – Era esse seu vestido – chacoalhava sua mão gorda como se estivesse afastando uma mosca imunda – lindo?

Ela tremia desajeitada de olhos arregalados e, sem saber o que dizer, afastou-se. Ao longe assistiu a líder gargalhando com suas amigas em roda, elas olhavam para ela e davam sorrisos ardilosos e envenados.

Ela só conseguiu correr dali feito uma barata assustada. Ela chegou em casa e arrancou seu vestido com uma fúria impetuosa. Pegou a tesoura afiada e o picotou com uma vibração assassina.

Sua mãe assustada, que acompanhou o culto ao vestido por tanto tempo, nada disse. Apenas aproximou-se da filha e a abraçou em soluços.

De noite no quarto daquele pobre casebre, mãe e filha soluçavam abraçadas em meio aos trapos do pobre vestido de renda assassinado.

Anúncios
Esse post foi publicado em Sonhar. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Conto: O vestido de renda

  1. Julia G disse:

    Oi Eliane, lindo conto.
    Tenho lido bastante sobre seus livros e tenho bastante curiosidade de conhecer seu trabalho.
    Tenho um blog literário, e ficaria muito feliz se fosse possível realizarmos uma parceria!

    Beijos, Julia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s