Folga

Nós batalhamos diariamente para dar conta de tudo, para não pedir ajuda, não enfraquecer, assumir mais compromissos, driblar a rotina e realizar tudo que foi programado herculeamente. Sentimos o prazer da vitória por levarmos nossa vida de forma independente, sem atrapalhar ou prejudicar ninguém, dando conta de nossas responsabilidades e obrigações. Eis que se aproxima – com aquele ar de coitado, com aquela graça dos fracos e oprimidos, cujos olhares estimulam sentimentos ordinários de piedade, na pele de seu amigo – o aproveitador, aquele que, sabendo que você é cumpridor de suas tarefas e que sempre dá conta de tudo, confia que você, com seu jeito malabarista, dará conta também de mais uma tarefa, e o pior é que ele está certo. O problema é que você sabe que ele pede a você porque é folgado, contudo, você ciente de suas obrigações, em especial do seu dever para com o seu amigo, sacrifica sua rotina, ajeita sua agenda para atender a mais um favor, sobrecarrega-se, dobra-se, exaure-se, mas dá um jeito.

Na esperança de que seu amigo compartilhe do seu sacrifício, você aguarda que ele não lhe peça mais nada, mais um novo dia surge e novas demandas aparecem não apenas dele, que ficou satisfeito com o resultado de sua diligência, mas de todos os cantos, e lá vem você novamente sentindo a obrigação de carregar o mundo em suas costas.

Pare imediatamente com isso! Não existe dever algum que você precise cumprir. Seu único dever é para com você mesmo. Não se deixe ser explorado e demandado para coisas que não sejam de seu interesse. Você não deve se dobrar às vontades dos outros, tampouco eles devem se dobrar à sua. A vida é uma troca e as pessoas só devem aproximar-se por conta de seus exclusivos interesses. Nada como piedade, sacrifício ou doação gratuita podem fazer parte de sua rotina, se isso não for de seu próprio interesse. Do contrário, você será tão sugado que não sobrará energia alguma para você mesmo e passará a vida se doando para aqueles que são folgados demais para se reconhecerem e que desdenham de toda sua dedicação e pelas costas o chamam de otário.

 

 

Anúncios
Esse post foi publicado em Acordar. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s