Sobre lutas…

Às vezes é preciso ar para respirar o tempo
Aquele que se esvai entre os dedos
e que não torna a voltar…
Às vezes é preciso da tormenta
não é a calmaria, mas as tempestades que nos fortalecem…
Às vezes é preciso de incômodo, talvez até dor,
são suas garras afiadas cravadas no nosso coração que fazem com que alguma coisa nova
se agite dentro de nós e nos impeça de continuar pousando de estátuas que não somos…
É preciso também confessar, pois é a verdade que transforma e ilumina.
Confesso, assim, de olhos abertos, para que veja minha alma, que muitas vezes tudo que eu quero é paz, tranquilidade e amor
e tenho que me esforçar para recordar que não me tornei quem sou, ninguém se torna quem é…
sendo poupado o tempo todo de tudo…
Isso se faria a alguém incapaz…
Chego a duvidar até que incapacidade existe, pois na guerra e na dor alguma coisa sempre desperta
alguma coisa acorda e percebe que precisa levantar, aceitar o desafio e lutar, como sempre lutou…

Anúncios
Esse post foi publicado em Acordar. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s