Sobre sacrifícios e ressentimento

Pode doer em você mas dói mais em mim nem sempre haverá sangue suficiente para você sugar, nem sempre o suor na minha testa bastará, e quando estiver cansada das dores e promessas do amanhã que não chega quero ao menos que meu amor tenha sido suficiente, quero dizer: “Meu amor, foi por você que morri”. Que ao menos minha morte possa ser celebrada pela vida de sacrifícios que vivi, que ao menos tenha lágrimas nos olhos nesse dia e reconheça tudo o que fiz só para ti.

Sim, lendo o texto, talvez você até sentiu pena, pode parecer cruel alguém sugar outra pessoa tanto assim, mas a vítima oferece o pescoço, oferece o suor da sua testa, por sua vontade, deixa de conduzir sua própria vida, e, então, um dia se cansa de ter dado e doado tudo o que era, ninguém nasceu para tamanha devoção…quase se esquece que foi ela quem se colocou em uma bandeja de prata e culpa ao outro…Mas a decisão foi dela e ela não pode fugir de sua própria decisão. É fácil apontar dedos, imaginar algozes, mas, no final do dia, somos nós que temos que nos defender de um jeito ou de outro, até de nós mesmos, se preciso.

Anúncios
Esse post foi publicado em Acordar. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s