Sobre tropeços e quedas…

Às vezes tropeçamos, logo levantamos, estávamos andando e por algum deslize qualquer que caímos. Não damos importância e nem deveríamos dar mesmo.
Mas, às vezes, não é só um tropeço, é muito mais…
Algumas vezes você ousa dar um salto que parecia impossível, escalar uma montanha alta demais ou correr além de suas forças, e, então, cai. Não é apenas um tropeço. É uma queda. O fato de ter ousado aumenta a importância do tombo. É claro que sim. Não foi algo que simplesmente aconteceu, não…claro que não. Foi um risco, geralmente calculado.
A queda deve doer, sangrar…Ninguém duvida.
Mas não são as feridas em si que importam.
Importam o que elas representam para você. Elas significam que você ousou quando deveria cuidar de se manter seguro? Ou significam que você apenas não está preparado o suficiente? Você deve não arriscar mais porque a vida é muito perigosa? Ou você deve se arriscar, aprender, evoluir, arriscar de novo e de novo até conseguir? No fundo, no fundo, é preciso saber o que define suas atitudes: o medo ou o amor?

Anúncios
Esse post foi publicado em Acordar. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s